Eu Recomendo


EU RECOMENDO


COMO COMEÇAR NO ESPIRITISMOO PENTATEUCO ESPÍRITA


As Obras Básicas da Doutrina Espírita, codificadas por Allan Kardec.

Para quem deseja descobrir o Espiritismo, saber do que se trata e ter fundamentos para entender e discutir esta doutrina, clarear tudo o que o nosso mestre Jesus tentou passar quando esteve entre nós, comecem lendo as obras básicas abaixo:
OBRAS PÓSTUMAS - 6ª Parte

Este livro foi publicado somente 21 anos após a desencarnação de Allan Kardec.
Obras Póstumas apresenta vários trabalhos do mestre que nunca haviam aparecido em livro. Na verdade, a maioria já havia sido publicada na Revista Espírita, logo após o seu desencarne, como pode ser verificado consultando o volume da coleção correspondente ao ano de 1869.
Constam dele a biografia de Allan Kardec (transcrita da Revista Espírita de maio de 1869) e o discurso de Camille Flammarion, pronunciado junto ao túmulo de Allan Kardec. Ao lado das obras da Codificação Espírita que formam o “Pentateuco Kardequiano”, Obras Póstumas constituí valiosa contribuição ao esclarecimento de vários temas fundamentais do Espiritismo, como: Deus, a alma, a criação, caracteres e consequências religiosas das manifestações dos espíritos, o perispírito como princípio das manifestações, manifestações visuais, transfiguração, emancipação da alma, aparição de pessoas vivas, bi-corporeidade, obsessão e possessão, segunda vista, conhecimento do futuro, introdução ao estudo da fotografia e da telegrafia do pensamento.
Allan Kardec apresenta vasto estudo sobre a natureza do Cristo, sob vários ângulos e incorpora a este estudo a opinião dos apóstolos e a predição dos profetas, com relação a Jesus.
Paralelamente trata também da teoria da beleza, estendendo os comentários à música celeste, à música espírita e encerra a primeira parte deste livro, com a exposição do tema “As alternativas da Humanidade”.
Na segunda parte relata, com detalhes, sua iniciação no Espiritismo, a revelação de sua missão, a identificação de seu Guia espiritual, além de outros fatos relacionados a acontecimentos pessoais.
Complementando, faz a apresentação da “Constituição do Espiritismo”, destacando a necessidade de se estabelecer uma Comissão Central para orientar o desenvolvimento doutrinário.
É oportuno salientar que desta Constituição nasceu o Movimento de Unificação dos Espíritas do Estado de São Paulo, que vem sendo coordenado pela USE-SP – União das Sociedades Espíritas do Estado de São Paulo desde sua fundação, em 1947.

Este livro representa o testamento doutrinário de Allan Kardec.

5. A GÊNESE, OS MILAGRES E AS PREDIÇÕES SEGUNDO O ESPIRITISMO (publicado em janeiro de 1868) - 5ª Parte
“Esta nova obra, esclarece Kardec, é mais um passo no terreno das conseqüências e das aplicações do Espiritismo. Conforme seu título o indica, ela tem por objeto o estudo dos três pontos, até agora, diversamente interpretados e comentados: a Gênese, os Milagres e as Predições, em suas relações com as novas leis decorrentes da observação dos fenômenos espíritas.”
Assim, em seus 18 capítulos, destacam-se os temas: caráter da revelação Espirita, existência de Deus, origem do bem e do mal, destruição dos seres vivos uns pelos outros, refere-se também a uranografia geral, com várias explicações sobre as leis naturais, a criação e a vida no Universo, a formação da Terra, o dilúvio bíblico e os cataclismos futuros, em seguida apresenta interessante estudo sobre a formação primária dos seres vivos, o princípio vital, a geração espontânea, o homem corpóreo e a união do princípio espiritual à matéria.
No tocante as milagres, expõe amplo estudo, no sentido teológico e na interpretação espírita; faz vários comentários sobre os fluidos, sua natureza e propriedades, relacionando-se com a formação do perispírito, e, ao mesmo tempo, com a causa de alguns fatos tidos como sobrenaturais.
Desta forma, dá explicação de vários “milagres” contidos nos Evangelhos, entre eles, O cego de Betsaida, os dez leprosos, o cego de nascença, o paralítico da piscina, Lázaro, Jesus caminhando sobre as águas. A multiplicação dos pães e outros.
Posteriormente, expõe a teoria da Presciência e as Predições do Evangelho, esclarecendo suas causas, à luz da Doutrina Espírita.
Finalizando este livro apresenta um capítulo intitulado “São chegados os tempos”, no qual aborda a marcha progressiva do Globo, no campo físico e moral, impulsionada pela Lei do Progresso.

Com este livro completa-se o conjunto das Obras Básicas da Codificação Espírita, também denominado “Pentateuco Kardequiano”.


4. O CÉU E O INFERNO (publicado em agosto de 1865) - 4ª Parte

Denominado também “A Justiça Divina Segundo o Espiritismo”, este livro oferece o exame comparado das doutrinas sobre a passagem da vida corporal à vida espiritual.
Na primeira parte, são expostos vários assuntos: causas do temor da morte, porque os espíritas não temem a morte, o céu, o inferno, o inferno cristão imitado do pagão, os limbos, quadro do inferno pagão, esboço do inferno cristão, purgatório, doutrina das penas eternas, código penal da vida futura, os anjos segunda a igreja e o Espiritismo, aborda também vários pontos relacionados com a origem da crença dos demônios, segundo a igreja e o Espiritismo, intervenção dos demônios nas modernas manifestações, a proibição de evocar os mortos.
A segunda parte deste livro é dedicada ao Pensamento; Kardec reuniu várias dissertações de casos reais, a fim de demonstrar a situação da alma, durante e após a morte física, proporcionando ao leitor amplas condições para que possa compreender a ação da Lei de Causa e Efeito, em perfeito equilíbrio com as Leis Divinas; assim, constam desta parte, narrações de espíritos infelizes, espíritos em condições medianas, sofredores, suicidas, criminosos e espíritos endurecidos.
O Céu e o Inferno coloca ao alcance de todos os conhecimentos do mecanismo pelo qual se processa a Justiça Divina, em concordância com o princípio evangélico: “A cada um segundo suas obras”.
3. O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO (publicado em abril de 1864) - 3ª Parte
Enquanto o Livro dos Espíritos apresenta a Filosofia Espírita e O Livro dos Médiuns a Ciência Espírita, O Evangelho Segundo o Espiritismo oferece a base e o roteiro da Religião Espírita.
Logo na introdução deste livro, o leitor encontrará as explicações de Kardec sobre o objetivo da obra, esclarecimentos sobre a autoridade da Doutrina espírita, a significação de muitas palavras freqüentemente empregadas nos textos evangélicos, a fim de facilitar a compreensão do leitor para o verdadeiro sentido de certas máximas do Cristo, que a primeira vista podem parecer estranhas.
Ainda na introdução, refere-se a Sócrates e a Platão como precursores da Doutrina Cristã e do Espiritismo.
O Evangelho Segundo o Espiritismo compõe-se de 28 capítulos, 27 dos quais dedicados à explicação das máximas de Jesus, sua concordância com o Espiritismo e a sua aplicação às diversas situações da vida.
O último capítulo apresenta uma coletânea de preces espíritas sem entretanto constituir um formulário absoluto, mas uma variante dos ensinamentos dos Espíritos e Verdade.
Os ensinamentos que contém são adaptáveis a todas as pátrias, comunidades e raças. É o código de princípios morais do Universo, que restabelece o ensino do Evangelho de Jesus, no seu verdadeiro sentido, isto é, em Espírito e Verdade.
Sua leitura e estudo são imprescindíveis aos espíritas e a todos que se preocupam com a formação moral das criaturas, independente de crença religiosa.
É fonte inesgotável de sugestões para a construção de um Mundo de Paz e Fraternidade.
 

COMO COMEÇAR NO ESPIRITISMOO PENTATEUCO ESPÍRITA


As Obras Básicas da Doutrina Espírita, codificadas por Allan Kardec.

Para quem deseja descobrir o Espiritismo, saber do que se trata e ter fundamentos para entender e discutir esta doutrina, clarear tudo o que o nosso mestre Jesus tentou passar quando esteve entre nós, comecem lendo as obras básicas abaixo:

2. O LIVRO DOS MÉDIUNS (publicado em janeiro de 1861) - 2ª Parte
Este livro reúne o ensino especial dos Espíritos Superiores sobre a explicação de todos os gêneros de manifestações, os meios de comunicação com os espíritos, o desenvolvimento da mediunidade, as dificuldades e os tropeços que eventualmente possam surgir na prática mediúnica.
É constituído de duas partes: Noções preliminares e Das manifestações espíritas.
Dentre os vários assuntos que aborda, destacam-se: Provas da existência dos Espíritos, o maravilhoso e o sobrenatural, modos de ser e proceder com os materialistas, três classes de espíritos, ordem a que devem obedecer os estudos espíritas: a ação dos Espíritos sobre a matéria, manifestações inteligentes, as mesas girantes, manifestações físicas, visuais, bicorporeidade, psicografia, laboratório do mundo invisível, ação curadora, lugares assombrados (com comentários sobre o exorcismo) tipos de médiuns e sua formação, perda e suspensão da mediunidade, inconvenientes e perigos da mediunidade, a influência do meio e da moral do médium nas comunicações espíritas, mediunidade nos animais, obsessão e meios de a combater, trata também de assuntos referentes à identidade dos Espíritos, às evocações de pessoas vivas, à telegrafia humana, além de vários temas intimamente relacionados com o Espiritismo experimental.
Não menos importante são os capítulos dedicados às reuniões nas sociedades espíritas, ao regulamento oficial da Sociedade Parisiense de Estudos Espíritos e ao Vocabulário Espírita.
Como se observa, o Livro dos Médiuns é a obra básica da Ciência Espírita, graças a ele, o espiritismo firmou-se como Ciência Experimental.
Embora publicado há mais de 100 anos, seu conteúdo é atual, seus ensinamentos permitem ao leitor estabelecer relações evidentes da Ciência Espírita com várias conquistas científicas da atualidade.

COMO COMEÇAR NO ESPIRITISMO – PENTATEUCO ESPÍRITA


As Obras Básicas da Doutrina Espírita, codificadas por Allan Kardec.

Para quem deseja descobrir o Espiritismo, saber do que se trata e ter fundamentos para entender e discutir esta doutrina, clarear tudo o que o nosso mestre Jesus tentou passar quando esteve entre nós, comecem lendo as obras básicas abaixo:
1. O LIVRO DOS ESPÍRITOS (publicado em 18 de abril de 1857) - 1ª Parte
O Livro dos Espíritos: lançado por Allan Kardec em 1857, é o principal livro da Doutrina Espírita. Podemos chamá-lo de espinha dorsal, pois sustenta todas as outras obras doutrinárias. Divide-se em quatro partes: "As causas primárias"; "Mundo espírita ou dos Espíritos"; "As leis morais"; e "Esperanças e consolações".
É composto de 1018 perguntas feitas por Kardec aos Espíritos superiores responsáveis pela vinda do Espiritismo aos homens. O que é Deus? De onde viemos? Para aonde vamos? O que estamos fazendo na Terra? Estas são algumas das questões respondidas pela falange do Espírito de Verdade.
Este é o livro básico da Filosofia Espírita. Nele estão contidos os princípios fundamentais do Espiritismo, tal como foram transmitidos pelos Espíritos Superiores a Allan Kardec, através do concurso de diversos médiuns. Seu conteúdo é apresentado em 4 partes. Das causas primárias. Do mundo espírita ou dos espíritos. Das Leis Morais e das esperanças e consolações.
Eis alguns dos assuntos de que trata: prova da existência de Deus, Espírito e Matéria, formação dos mundos e dos seres vivos, povoamento da Terra, pluralidade dos mundos, origem e natureza dos Espíritos, perispírito, objetivos da encarnação, sexo dos Espíritos, percepções, sensações e sofrimentos dos Espíritos, aborto, sono e sonhos, influência do Espíritos nos acontecimentos da vida, pressentimento, Espíritos protetores e outros temas de real interesse ao homem atual.
Na parte relativa às Leis Morais, os temas versam sobre o bem e o mal, a prece, necessidade de trabalho, casamento, celibato, necessário e supérfluo, pena de morte, influência do Espiritismo no Progresso da Humanidade, desigualdades sociais, igualdade de direitos do homem e da mulher, livre-arbítrio e conhecimento de si mesmo.
E, finalmente, na última parte, refere-se aos temas: perdas de entes queridos, temor da morte, suicídio, natureza das penas e gozos futuros, Paraíso, Inferno e Purgatório.
É um livro que abre novas perspectivas ao homem, pela interpretação que dá aos diversos aspectos da vida, sob o prisma das Leis Divinas, da existência e sobrevivência do Espírito e sua evolução natural e permanente, através de reencarnações sucessivas.
Seus ensinamentos conduzem o homem atual à redescoberta de si mesmo, no campo do espírito, fornecendo-lhes recursos para que compreenda, sem mistério, o que é, de onde veio e para onde vai.

Nosso Lar - Emmanuel/Chico Xavier


Lançado inicialmente na década de 40, Nosso Lar é um clássico da literatura espírita, sendo o primeiro livro da lavra de André Luiz, onde ele narra seu desencarne, o estágio no Umbral, a chegada na Colônia Nosso Lar e suas descobertas sobre a vida após a morte.
André Luiz atua como um repórter do além, revelando-nos um mundo novo, cheio de vida e organizado. Através do auxílio de seus mentores, traz mensagens importantes sobre o espiritismo.
Resenha: Nosso Lar dispensa apresentações. Está em sua 60 ª edição e já virou filme. Trata-se de leitura obrigatória a todo irmão espírita ou simpatizante, pois foi a primeiro livro a revelar o dia-a-dia em uma colônia espiritual, trazendo revelações surpreendentes sobre a imortalidade da alma.
Por ser um livro da década de 40, a linguagem utilizada é bastante clássica, trazendo uma certa dificuldade de compreensão de algumas palavras ou mesmo frases.
Trecho:
“Eu guardava a impressão de haver perdido a ideia de tempo. A noção de espaço esvaíra-se-me de há muito. Estava convicto de não mais pertencer ao número dos encarnados no mundo e, no entanto, meus pulmões respiravam a longos haustos. Desde quando me tornara joguete de forças irresistíveis? Impossível esclarecer. Sentia-me, na verdade, amargurado duende nas grades escuras do horror. Cabelos eriçados, coração aos saltos, medo terrível senhoreando-me, muita vez gritei como louco, implorei piedade e clamei contra o doloroso desânimo que me subjugava o espírito; mas, quando o silêncio implacável não me absorvia a voz estentórica, lamentos mais comovedores, que os meus, respondiam-me aos clamores.
Outras vezes gargalhadas sinistras rasgavam a quietude ambiente. Algum companheiro desconhecido estaria, a meu ver, prisioneiro da loucura. Formas diabólicas, rostos alvares, expressões animalescas surgiam, de quando em quando, agravando-me o assombro”.



Brasil Coração do Mundo, Pátria do Evangelho, do Espírito Humberto de Campos, psicografia de Chico Xavier

Nesta obra, o espírito Humberto de Campos, através da mediunidade de Chico Xavier, fala-nos sobre a importante missão do Brasil na divulgação do Evangelho, sob o comando de Ismael, o espírito escolhido por Jesus para ser o zelador da Pátria do Cruzeiro.
Revela-nos que cada Estado brasileiro tem uma função especial nessa missão, como - por exemplo- São Paulo e Minas Gerais na área econômica e o Rio de Janeiro na cultura.
É um livro agradável e que explica - do ponto de vista espiritual - muito do que ocorreu na História do Brasil.

Trecho do livro:
“Nessa abençoada tarefa de espiritualização, o Brasil caminha na vanguarda. O material a empregar nesse serviço não vem das fontes de produção originariamente terrena e sim do plano invisível, onde se elaboram todos os ascendentes construtores da Pátria do Evangelho.
Estas páginas modestas constituem, pois, uma contribuição humilde à elucidação da história da civilização brasileira em sua marcha através dos tempos.
Têm por único objetivo provar a excelência da missão evangélica do Brasil no concerto dos povos e que, acima de tudo, todas as suas realizações e todos os seus feitos, forros dos miseráveis troféus das glórias sanguinolentas, tiveram suas  origens profundas no plano espiritual, de onde Jesus, pelas mãos carinhosas de Ismael, acompanha desveladamente a evolução da pátria extraordinária, em cujos céus fulguram as estrelas da cruz.



Doutrinários

       A recomendação dos estudiosos da Doutrina Espírita é que todo iniciante deve ler o chamado Pentateuco Kardecista, composto por 05 obras consideradas fundamentais, que foram escritas pelo codificador Allan Kardec. São elas:
1.          O Livro dos Espíritos, Princípios da Doutrina Espírita, publicado em 18 de abril de 1857; 
2.          O Livro dos Médiuns ou Guia dos Médiuns e dos Evocadores, em janeiro de 1861; 
3.          O Evangelho segundo o Espiritismo, em abril de 1864; 
4.          O Céu e o Inferno ou A Justiça Divina Segundo o Espiritismo, em agosto de 1865; 
5.          A Gênese, os Milagres e as Predições segundo o Espiritismo, em janeiro de 1868. 

Eu recomendo que o iniciante comece pelo Livro dos Espíritos, que é de pergunta e resposta e altamente elucidativo e que depois leia o Evangelho Segundo o Espiritismo, que é a obra que contém os ensinamentos morais de Jesus, explicados por Allan Kardec e por espíritos da mais alta envergadura.


O Mediador, de Agnaldo Cardoso


Um equívoco comumente cometido pelos espíritas é dizer:
 - 'Eu sou vítima de uma obsessão' ou 'Fulano é vítima de uma obsessão'.
Não há vítima! E não há cobrador se não existir devedor! Obsessor, não é inimigo. É quem mais precisa ser ajudado. Nem todo obsessor é mau. Muitos são obsessores por mera ignorância e há até os que o são, por amor. A 'pobre vítima' de hoje, pode ter sido o impiedoso 'carrasco' de ontem. Então, não vamos nos colocar no papel de vítimas. Só haverá obsessão, se houver sintonia.



O Anjo Negro, de Agnaldo Cardoso

 

Este livro conta a história de Canhoto. Um homem muito bom, negro com uns 35 anos, pequeno e franzino, seu rosto bastante deformado. Porém bastava olhar para ele para perceber o carisma de seu sorriso, com seus dentes brancos, que até parece um sorriso cheio de estrelas.

Pobre mora em uma favela, gosta muito de ajudar as pessoas, pesca para fazer sopa com os peixes para os mais necessitados, ajuda a igreja católica com doações, ajuda a professora com o catecismo e ajuda também os evangélicos.

Um crime acontece na favela e Canhoto acha o corpo. Um delegado investiga o caso e Canhoto é suspeito. Mas quando o delegado conhece Canhoto ele fica admirado com tanta bondade e sabedoria.

Canhoto também combate as drogas e os traficantes da favela armam uma cilada para ele, escondendo drogas em sua casinha, Canhoto vai preso, mas não se revolta. Na prisão faz amizades com os outros presos, até com os mais perigosos. 

Canhoto é médium e escuta e atende o espírito amigo quando alguém esta doente.

Com a sua prisão as igrejas católicas e evangélica não querem mais Canhoto mas suas igrejas ,mas querem continuar a receber as doações.

Ele então começa a frequentar o centro espírita onde é recebido com carinho e com o tempo começa a ministrar palestras, deixando todos admirados com suas palavras. O delegado também começa a frequentar o centro.

Armam uma nova cilada para Canhoto, quando colocam o corpo de uma moça, violentada e morta, na casa de canhoto.

 

Comentário de uma leitora

 

"Quando escolhi esse livro para ler pensei que fosse de escravidão, mas me enganei e tive uma grata surpresa, pois o livro é simplesmente maravilhoso. Eu me senti uma formiguinha diante da grandeza de caráter do Canhoto.

Nesse livro Canhoto nos ensina a ser uma pessoa do bem, sem guardar ressentimentos maus dentro de nós, amando até os nossos inimigos.

Juro que quando alguma coisa me desagrada ou alguém, logo me vem a cabeça o Canhoto.

Maravilhoso este livro......."

reginabregola8/24/2011 02:55:00 PM


 

A CASA DOS FANTASMAS, de Agnaldo Cardoso

  Quem já teve a oportunidade de ler ou assistir O Código da Vinci e O Nome da Rosa notará que os questionamentos que se fazem presentes nestas obras assemelham-se muito os levantados pelo escritor Agnaldo Cardoso.
Discorrendo sobre a rotina de vida dos moradores de São José  da Laje e o encontro entre os últimos guardiões dos pergaminhos escritos por Jesus de Nazaré, a trama transforma a leitura em um mix de sensações: risos, questionamentos, surpresas e adrenalina.
Sendo que os herdeiros dos discípulos, que recebem a tarefa de guardar os pergaminhos na época da Inquisição, vão desvendando as Onze Verdades escritas por Jesus de Nazaré, conforme decifram os materiais deixados por nosso Irmão que explicita...
..."um lugar ainda desconhecido pela humanidade, que terá o nome de Brasil, e que mais tarde será conhecido também como o coração do mundo e a Pátria do Evangelho e onde estes meus escritos serão encontrados e reunidos, depois de decifrados. Isso acontecerá na primeira década do 3° milênio.."




Caçador de Espíritas, de Agnaldo Cardoso


O Caçador de Espíritas, com sua linguagem descontraída e também inusitada pelo suspense, prende a atenção do início ao fim, face ao desconhecimento da identidade de um suposto assassino. O leitor descobrirá um pouco de si mesmo em cada personagem, na medida em que eles são reunidos em um único local e começam a questionar seus valores, a falta de fé, ou a sua incredulidade na existência dos espíritos e no fenômeno mediúnico, fatos que conduzem o relato a um desfecho interessante e inesperado.






Alô!? É do Mundo Espiritual? De Agnaldo Cardoso




Na obra Alô!? É do Mundo Espiritual?, é narrada à história de Maria Olindina, uma belíssima mulher que após um acidente de carro, desencarna de forma abrupta.

Devido ao seu rápido desencarne, não percebeu que estava nestas condições, e agia como se estivesse encarnada, ao chegar a sua casa percebe que existem ´invasores´, e que seu jardim está destruído devido à construção de uma casinha para o cão Gabriel, iniciando assim, uma obsessão pela casa e ao canino.

Triste e desamparada é abordada pelo Sr. Geraldo, que ofereceu ajuda, orientada por Sales e demais trabalhadores da casa espírita NEAM ela vai adquirir novos conhecimentos sobre os tipos de reuniões, recursos utilizados na desobsessão, os tipos de obsessão, o passe, doutrinação e outros assuntos interessantes.

O Emissário das Sombras, de Agnaldo Cardoso


Planejadores das sombras se reúnem em seminários, congressos e debates, buscando encontrar meios mais eficazes para debilitar a doutrina. Há muito tempo, esses irmãos, ainda presos nas teias da cruel ignorância, ou alimentados por um terrível e cego ódio, tentam se infiltrar nas fileiras espíritas.
As sombras, irmãos ainda presos nas teias da cruel ignorância, ou alimentados por um terrível e cego ódio, tentam infiltrar nas fileiras espíritas, um emissário.
A temática central da obra, é chamar a nossa atenção quanto ao “orai e vigiai”, pois acompanharemos uma programação reencarnatória de um ser das sombras, traçada pelos seus líderes e, o seu desenrolar ao longo dos anos com a finalidade de denegrir e destruir a Doutrina, mas como só o bem é eterno...
Com o objetivo de traçar-nos uma rota segura nos trabalhos do Cristo, é que vem a lume, O Emissário das Sombras, trazendo em seu bojo orientações claras acerca do nosso verdadeiro papel como aprendizes do Mestre.


Matando a Morte de Agnaldo Cardoso


Você já sentiu uma súbita saudade de algo ou alguém e não sabe bem que é? De repente, sem explicação nos sentimos angustiados, aflitos...
Provavelmente já tenha acontecido e talvez tenha dito:
 "O que está acontecendo comigo?"
Os mais sensíveis dirão:
– "Alguma coisa vai acontecer...estou sentindo uma angústia..."
Após ler a história tão bela e comovente de Luiz - um homem simples, ingênuo, bem-humorado e, acima de tudo, sábio - você entenderá o motivo da saudade inexplicável que às vezes nos toma e, além disso, receberá ensinamentos sublimes acerca do aborto, da eutanásia, do adultério, do suicídio, das drogas, da pena de morte e outros ainda que poderíamos chamar de "regras de conduta" que servem para todos os segmentos de nossa vida.
Toda a trajetória de Luiz é emocionante. Suas descobertas nos trazem sabedoria, suspense, risos e lágrimas.
Em Matando a Morte, o autor nos mostra que a única separação a qual a morte nos proporciona é a separação física de nossos entes queridos e, embora inevitável, representa apenas um momento nesta eterna trajetória que é a vida, porque estaremos sempre ligados afetivamente àqueles que amamos. Basta esperar e aprender com a Saudade!




Não Aceito Morrer, de Agnaldo Cardoso




Sacha tinha absoluta certeza de que aquela seria uma noite perfeita e inesquecível. Acabara de completar 15 anos e participaria do Baile de Debutantes. O jovem capitão da equipe de futebol da escola, João Moreira, seria seu acompanhante.

Quando, de repente, uma colisão frontal! Terrível! Forte! Assustadora! Ferros retorcidos, correria, telefonemas, ambulância, sirenes, hospital, gritos lancinantes de dor e desespero... Destruição dos mais belos sonhos! Sacha entra em coma, e assim permanece por longos anos.

O sofrimento, aparentemente sem fim, dá lugar à oportunidade de aprendizado e restabelecimento. Neste romance, acompanharemos a trajetória de Sacha, desde os momentos em que desperta na Espiritualidade, quando descobre que ainda está ligada ao corpo em razão do coma, até o instante derradeiro de seu desencarne.

Vamos nos sensibilizar com o sofrimento da família de Sacha e aprender com a luta dos seus entes queridos para superar o drama e, principalmente, não se revoltar contra Deus. E, nesse caminho, a descoberta da Doutrina Espírita, como o único consolador capaz de trazer um refrigério àquelas almas.

E nos emocionaremos, também, quando o “não aceito morrer” repetido de forma tão revoltada por Sacha der lugar à aceitação serena de um “não aceito morrer” com a consciência plena de que a vida continua.


O Emissário das Sombras, de Agnaldo Cardoso
Planejadores das Sombras se reúnem em seminários, congressos e debates, buscando encontrar meios mais eficazes para debilitar a Doutrina Espírita.
 Há muito tempo, esses irmãos, ainda presos nas teias da cruel ignorância, ou alimentados por um terrível e cego ódio, tentam infiltrar nas fileiras espíritas, um emissário.
A temática central da obra é chamar a nossa atenção quanto ao “orai e vigiai”, pois acompanharemos uma programação reencarnatória de um Ser das Sombras, traçada pelos seus líderes e, o seu desenrolar ao longo dos anos com a finalidade de denegrir e destruir a Doutrina.
Contudo, como só o bem é eterno...
Com o objetivo de traçar-nos uma rota segura nos trabalhos do Cristo, é que vem a lume, O Emissário das Sombras, trazendo em seu bojo orientações claras acerca do nosso verdadeiro papel como aprendizes do Mestre dos Mestres. Jesus!



O Mediador, de Agnaldo Cardoso


Um equívoco comumente cometido pelos espíritas é dizer - 'Eu sou vítima de uma obsessão' ou 'Fulano é vítima de uma obsessão'.
Não há vítima! E não há cobrador se não existir devedor! Obsessor, não é inimigo. É quem mais precisa ser ajudado. Nem todo obsessor é mau. Muitos são obsessores por mera ignorância e há até os que o são, por amor.
A 'pobre vítima' de hoje, pode ter sido o impiedoso 'carrasco' de ontem. Então, não vamos nos colocar no papel de vítimas. Só haverá obsessão, se houver sintonia.


O Anjo Negro, de Agnaldo Cardoso


Leitura envolvente e realista, distinguindo-se pela forma como a história é contada. Um estimulante exercício de narrativa, tratando de temas como drogas, aborto, preconceito social e racial. Entrelaçando de forma competente e original, colocando dentro da trama as ideias espíritas e a melhor maneira de ajudar seu próximo utilizando-se da mediunidade, nem sempre explícita. A realidade da vida na favela vivificando o mecanismo e destruição e reconstrução embasado nos costumes. A aplicação da Lei de Causa e Efeito.



A CASA DOS FANTASMAS, de Agnaldo Cardoso


Quem já teve a oportunidade de ler ou assistir O Código da Vinci e O Nome da Rosa notará que os questionamentos que se fazem presentes nestas obras assemelham-se muito aos levantados pelo escritor Agnaldo Cardoso. Discorrendo sobre a rotina de vida dos moradores de São José da Laje e o encontro entre os últimos guardiões dos pergaminhos escritos por Jesus de Nazaré, a trama transforma a leitura em um mix de sensações: risos, questionamentos, surpresas e adrenalina.
Sendo que os herdeiros dos discípulos, que recebem a tarefa de guardar os pergaminhos na época da Inquisição, vão desvendando as Onze Verdades escritas por Jesus de Nazaré, conforme decifram os materiais deixados por nosso Irmão que explicita...
..."um lugar ainda desconhecido pela humanidade, que terá o nome de Brasil, e que mais tarde será conhecido também como o coração do mundo e Pátria do Evangelho e onde estes meus escritos serão encontrados e reunidos, depois de decifrados. Isso acontecerá na primeira década do 3° milênio..."

:AGNALDO CARDOSO

Lágrimas de um Louco, de Agnaldo Cardoso


Emocionante romance de Agnaldo Cardoso, numa leitura atraente e que prende nossa atenção do primeiro ao último capítulo. Preciosos e úteis ensinamentos à luz da Doutrina Espírita. Uma enfermeira, ao aposentar-se, é chamada ao trabalho pelo plano espiritual, a fim de contribuir para a evolução de irmãos acolhidos num sanatório de deficientes mentais.
Utilizando seus valores espirituais, enfrenta, desde simples problemas de irmãos em dificuldade no uso da razão, até os processos obsessivos mais profundos, arraigados e acentuados que se arrastam por séculos.
O livro é uma exaltação ao amor verdadeiro, sem fronteiras, aplicado ao trabalho. 



Transição Planetária - Manoel Philomeno de Miranda (espírito) e Divaldo Franco (médium)


Resumo: A presente obra, psicografada ao médium Divaldo Franco pelo Espírito Manoel Philomeno de Miranda, aborda fatos importantes acerca da tão falada Transição ou Transmigração Planetária. Em forma de romance, o autor espiritual narra suas experiências no auxílio a encarnados e desencarnados, nesta fase em que a Terra está passando de planeta de expiação para local de regeneração.
Na apresentação, o venerável benfeitor nos conta que:
Vive-se, na Terra, o momento da grande transição de mundo de provas e de expiações, para mundo de  regeneração. As alterações que se observam são de natureza moral, convidando o ser humano à mudança de comportamento para melhor, alterando  os hábitos viciosos, a fim de que se instalem os paradigmas da justiça, do dever, da ordem e do amor.
A história começa com uma reunião na Colônia Redenção, onde vive o autor espiritual. Nesta reunião, acontece uma palestra com um espírito residente em outra dimensão, Órion, procedente da constelação de Touro, que viera explanar sobre as reencarnações em massa nesta fase de transição. O nobre palestrante discorre também sobre as mudanças climáticas e as catástrofes naturais que ocorreram no planeta, bem como da migração dos espíritos mais embrutecidos a um novo planeta primitivo.
Apresentam-se  exóticos uns, agressivos outros, buscando as origens primevas em reação inconsciente contra a sociedade progressista, tendo, porém, a santa oportunidade de refazerem conceitos, de aprimorarem sentimentos e de participarem da inevitável marcha ascensional. 
Expressivo número, porém, permanece em situações de agressividade e indiferença emocional, tornando -se instrumentos de provações rudes para a sociedade que desdenha. Fruem da excelente ocasião que, malbaratada, os recambiará a mundos primitivos, nos quais  contribuirão com os conhecimentos de que são portadores, sofrendo, no entanto, as injunções rudes que serão defrontadas.
A palestra de Órion é repleta de informações relevantes e até pertubadoras. Logo após, Manoel é convocado para auxiliar as vítimas do Tsunami na Indonésia, juntamente com companheiros de outras denominações religiosas: Dr. Charles White, médico e anglicano, Padre Marcos, Enfermeira Ana, o judeu Oscar e o mulçumano Abdul.
Esta equipe se dirige à cidade de Sumatra, na Indonésia, logo após o tsunami cuja primeira onda ceifou mais de 150 mil vidas. Lá encontram um cenário de total penúria, tanto do ponto de vista espiritual quanto material. Resgatam e orientam espíritos em total desespero, ainda presos em restos carnais e combatem grupos de ladrões de duplo etéreo. Comentam sobre casos de licantropia e obsessões complexas.
Ao que consta, tal região estava muito comprometida com o turismo sexual, gerando uma psicosfera doentia e se fez necessário uma purificação do ambiente:
Ao longo dos últimos anos, as mentes geraram essa psicosfera doentia nas regiões agora afetadas pela calamidade que teve uma função purificadora para toda a região, alterando os costumes e propondo novos comportamentos morais pela dor, advertindo  a respeito da fragilidade e temporalidade da vida orgânica.
No capítulo 14, a equipe recebe a visita de São Francisco de Assis e de Santa Clara. Nos capítulos seguintes, Manoel integra um grupo de espíritos que irão acompanhar a reencarnação de entidades de outras esferas, muito evolupidas, que chegarão ao planeta Terra com a missão de auxiliar o progresso da humanidade. Além disso, filósofos e cientistas do passado estarão reencarnando na Terra com a mesma missão.

Comentários:
Muitas informações contidas nesta obra de 2010, corroboram as informações de Ramatis em seu livro Mensagens do Astral de 1964. A linguagem utilizada pela dupla Manoel e Divaldo é de estilo mais culto, erudito e isso pode dificultar a compreensão do texto. Recomendo aos menos habituados, que leiam o livro com um dicionário do lado, pois vale cada parágrafo. São informações preciosas que nos leva a reflexões sobre a importância de buscarmos nosso aprimoramento espiritual.
As tragédias naturais, como os tsunamis e terremotos, segundo o autor espiritual, têm como objetivo acelerar a evolução da humanidade terrestre. Espíritos recalcitrantes estão sendo expulsos do Planeta Terra e enviados a um planeta mais primitivo, onde passarão um tempo aprendendo as Leis do Amor e da caridade.

Trechos
Muitas informações são passadas ao leitor no decorrer desta obra e não seria possível transcrever todas numa resenha e nem é este nosso objetivo. Então selecionei uma das que mais gostei, que fala do que anda acontecendo com as religiões terrenas nesta época de transição. O palestrante, Dr Silvio, geneticista no astral, não poupou nem nós espíritas:
 Se observarmos com cuidado, notaremos a degenerescência da mensagem do Senhor, mesmo nos dias atuais, quando as seitas  e igrejas que se multiplicam ferozmente, cada qual pretendendo a primazia do conhecimento e a dominação da verdade, transformam o dízimo, no que, oportunamente, foram as indulgências.
Recursos de mercado materialista são utilizados para atrair fregueses desatentos e ambiciosos que desejam comprar o reino sem que operem a íntima transformação de conduta para melhor, amplia-se a área das licenças morais que são concedidas a inúmeras denominações religiosas ditas modernas, para estarem de acordo com a vulgaridade destes dias.
A Igreja Católica Apostólica Romana sofre o desvario da pedofilia de alguns dos seus membros, sacerdotes e prelados, vivendo uma conjuntura muito aflitiva, além do poder temporal de que desfruta há mais de dezessete séculos."E os discípulos do Consolador, como se vêm comportando? Não existem já as diferenças gritantes em separatismos lamentáveis, através de correntes que se fazem adeptas de X, Y ou Z, em detrimento da Codificação kardequiana na qual todos haurimos o conhecimento libertador?!
Não surgem, diariamente, médiuns equivocados, agressivos, presunçosos, vingativos, perseguidores, insensatos, pretendendo a supremacia, em total olvido das lições do Excelente Médium de Deus?!



DESOBSESSÃO - André Luiz:

"Terapêuticas diversas merecem estudos para a supressão dos males que flagelam a Humanidade. Antibióticos atacam processos de infecção, institutos especializados examinam a patologia do câncer, a cirurgia atinge o coração para sanar o defeito cardíaco e a vacina constitui defesa para milhões. Ao lado, porém, das enfermidades que supliciam o corpo, encontramos, aqui e além, as calamidades da obsessão que desequilibram a mente.
Para lá das teias fisiológicas que entretecem o carro orgânico de que se vale o Espírito para o estágio educativo no mundo, é possível identificar os quadros obscuros de semelhantes desastres, nos quais as forças magnéticas desajustadas pelo pensamento em desgoverno assimilam forças magnéticas do mesmo teor, estabelecendo a alienação mental, que vai do tique à loucura, escalando por fobias e moléstias fantasmas.
Vemo-los instalados em todas as classes, desde aquelas em que se situam as pessoas providas de elevados recursos da inteligência àquelas outras onde respiram companheiros carecentes das primeiras noções do alfabeto, desbordando, muita vez, na tragédia passional que ocupa a atenção da imprensa ou na insânia conduzida ao hospício. Isso tudo, sem relacionarmos os problemas da depressão, os desvarios sexuais. as síndromes de angústias e as desarmonias domésticas.
Espíritos desencarnados e encarnados de condição enfermiça sintonizam-se uns com os outros, criando prejuízos e perturbações naqueles que lhes sofrem a influência vampirizadora, lembrando vegetais nobres que parasitos arrasam, depois de solapar-lhes todas as resistências."
"Nenhuma instituição de Espiritismo pode, a rigor, desinteressar-se desse trabalho imprescindível à higiene, harmonia, amparo ou restauração da mente humana, traçando esclarecimento justo, seja aos desencarnados sofredores, seja aos encarnados desprovidos de educação íntima que lhes sofram a atuação deprimente, conquanto, às vezes, involuntária.
Cada templo espírita deve e precisa possuir a sua equipe de servidores da desobsessão, quando não seja destinada a socorrer as vítimas da desorientação espiritual que lhe rondam as portas, para defesa e conservação de si mesma."
"Recordemos que o Espiritismo é o Cristianismo Restaurado e que o pioneiro número um da desobsessão, esclarecendo Espíritos infelizes e curando obsidiados de todas as condições, foi exatamente Jesus"
Através de 20 capítulos, André Luiz fornece instruções valiosos para uma reunião de desobsessão realmente proveitosa. Livro indispensável a médiuns e doutrinadores.


Sexo e Destino, da série André Luiz

Obra apaixonante, pelo conteúdo e lições, traz à cena a história de jovens e adultos que, movidos pelo amor, pela paixão e pela cobiça, complicam a própria existência de forma trágica e irreversível.
Obsessões doentias, qual a que sofre Cláudio, apaixonado pela própria filha e que ele julga apenas adotiva, são o centro da trama onde desfilam, também, a maternidade omissa e a fraternidade ausente.
Sexo, dinheiro e outros interesses vis marcam os personagens, de forma fria e realista. Neste ambiente, movimenta-se André Luiz, parecendo mais maduro que nos livros anteriores, e também mais calado.
Grafada a duas mãos, por Waldo Vieira, responsável pela primeira parte (14 capítulos), e Francisco Cândido Xavier, responsável pela segunda (também com 14 capítulos), traz no prefácio a seguinte elucidação de André Luiz:
"Sexo e destino, amor e consciência, liberdade e compromisso, culpa e resgate, lar e reencarnação constituem os temas deste livro, nascido na forja da realidade cotidiana.
Entretanto, leitor amigo, após a oração do benfeitor, que se pronunciou no limiar (Emmanuel, em prefácio ditado à Chico Xavier), nada mais nos compete que não seja entregar-te a narrativa que a Divina Providência nos permitiu alinhavar, não pelo exclusivo propósito de desnudar a verdade, mas sim no objetivo de aprender com a biblioteca da experiência.
Cremos seja desnecessário esclarecer que os nomes dos protagonistas desta história real foram substituídos por óbvias razões e que a presente biografia de grupo não pertence a outras criaturas senão a eles mesmos que no-la permitiram redigir, para a nossa edificação, depois de naturalmente consultados.
Solicitamos, ainda, permissão para dizer-te que não foi retirado um só til das verdades que a entretecem - verdades da verdade, que, fremindo de capítulo a capítulo, carreia consigo, em passagens numerosas, a luz de nossas esperanças e o amargo sabor de nossas lágrimas."




Décimo volume da série, narra, de forma um pouco diferente da habitual em André Luiz, a encantadora e vibrante trajetória de Ernesto, um homem maduro e algo avançado nos anos, e Evelina, jovem e bela mulher.
Adoentados, sem esperança de recuperação, travam sincera amizade em formosa estância hidromineral.
Apaixonada pelo marido, Caio, Evelina luta contra a morte, batalha que afinal perde, desencarnando na flor da juventude. Ernesto também desencarna. Ambos são internados em grande instituição hospitalar e onde tornam a se encontrar mais tarde.
Sem se dar conta do passamento, mas devido às peculariedades do ambiente e das situações em que veem envolvidos, Evelina e alguns companheiros passam a suspeitar da terrível realidade...
Estarão mortos, por ventura?
Reencontrando-se com Ernesto, Evelina inteira-se da verdade.
O tempo passa e ela, adaptando-se aos poucos à situação, recomeça, ao lado do querido amigo, uma nova e enriquecedora etapa.
No entanto, tem o coração ainda e apenas para Caio.
Deseja vivamente retornar ao antigo lar, para consolar o marido que julga preso a grande e insuperável dor.
Ernesto também tem algumas tarefas a desempenhar na Crosta, junto à família terrena.
Retornam, então, e Evelina tem amarga e dorida surpresa: seu marido vive feliz com outra mulher, na casa que lhe pertencera. Sofre igualmente outro golpe: descobre, decepcionada, que a moça já lhe era amante desde há muito, desde tempo anterior ao seu desencarne...
De alma nobre e generosa, olvida a própria dor e passa a desempenhar tarefas que lhe são solicitadas por benfeitores espirituais, visando, acima de tudo, solucionar pendências particulares, como o jovem apaixonado suicida, e outras situações envolvendo familiares próximos. Sendo assim, auxilia a muitos, principalmente ao pai.
Ernesto, da mesma forma, trabalha pela felicidade dos seus, ainda na carne.
Feliz e refeito, percebe-se a cada dia mais jovem e vigoroso.
Evelina, por sua vez, amadurece gradualmente os traços juvenis.
Finda a tarefa na Terra, e conformados quanto aos afetos ali deixados, percebem que vibra no coração de ambos um sentimento muito além da amizade pura...

AÇÃO E REAÇÃO, da série André Luiz

 Obra dividida em 20 capítulos altamente instrutivos e absorventes, narra a permanência de três anos de André Luiz e seu companheiro Hilário na "Mansão Paz", notável escola de reajuste situada em regiões inferiores, senão infernais do Planeta, e dirigido pelo abnegado e bondoso Instrutor Druso.
A construção, ampla e bem protegida, cerca-se diuturnamente de espessas tempestades magnéticas, de consistência parecida a barro aerado e no bojo do qual é possível divisar milhares de entidades francamente dementadas e cruéis, agarradas ferozmente umas as outras em desesperada tentativa de equilíbrio e salvação.
No entanto, apesar da compaixão que André Luiz experimenta, Druso explica-lhe que eles não podem ainda ser acolhidas à mansão devido à sua extrema rebeldia e ferocidade.
"Seria como soltar um tigre selvagem em templo onde fiéis oram pacificamente."- explica Druso.
Na Mansão da Paz André Luiz, acompanhado de Hilário, tem a oportunidade de observar de perto a fascinante questão da Ação e Reação através de exemplos vivos que vão lhe sendo apresentados, tanto por Druso quanto por seu assistente, o jovem Silas.
O livro apresenta vários pontos altos, entre eles a materialização no Templo da Oração do Ministro Sânzio, luminoso mensageiro das alturas. Pacientemente, a sublime entidade atende às interrogações ansiosas de André e Hilário no tocante a questão do "carma", ou "choque do retorno".
Outro ponto alto é o processo de desobessão de Luis, jovem fazendeiro e completamente obcecado pelo ouro que acumula, sob as ordens ferozes de dois tios desencarnados. Os dois infelizes, assassinados pelo próprio irmão, pai de Luis, desencarnado também há muito, pensam assim preservar a fortuna de que foram espoliados.
De teor impressionante, este capítulo narra a gabolice de um dos obsessores, que dá uma aula completa de obsessão aos estupefatos André e Hilário, sem contudo surpreender a Silas, que busca modo eficiente de reconduzi-los à razão.
Para sensibilizá-los, o jovem assistente abre o coração e narra a própria história. Na última existência, apaixonado pelo dinheiro, tudo fez para arruinar a jovem madrasta, a qual não desejava ver beneficiada pela fortuna do pai.
Entre artimanhas e calúnias, apenas sentiu-se feliz quando a viu morrer sob mortífera dose de veneno, que pensava tivesse ela própria ingerido. No entanto, prestes a desencarnar, seu pai o chama e lhe conta terrível segredo: fora ele que ministrara o tóxico letal.
Pouco tempo depois o jovem também desencarna, em profundo abatimento moral, vítima de terrível engano...
Após muitos anos de sofrimento nas trevas, e embora reerguido e disposto a renovar o próprio destino através do trabalho diligentemente levado a efeito na Mansão, ainda não havia logrado êxito na localização da madrasta, apesar de hercúleo esforço neste sentido. A reparação se fazia necessária, mas... por onde vagaria o espírito da pobre mulher?
Os obsessores ouvem, meditam e após alguns dias, comunicam a Silas a sua decisão...
Outro ponto alto do livro está nas últimas páginas, quando finalmente Aída, a jovem madrasta, é localizada por Silas, em triste e aviltante situação. A surpresa fica por conta do personagem que revela-se pai do assistente e cúmplice na derrocada moral e espiritual da infeliz mulher...
Obra imperdível a quantos buscam esclarecimentos maiores e mais dilatados acerca da Lei de Ação e Reação e à qual todos estamos submetidos.


Um comentário: